Arquivo de fevereiro \26\UTC 2015

SÉRIE ESPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS – Nº 21

DEUS UNIU AS DUAS RAÇAS

             BANDEIRA AMERICANA

APERTO DE MÃOS

A IGREJA AMERICANA SE UNIU PELA GRAÇA DE DEUS

O LAVAPÉ

O LAVA-PÉS  SINAL DE ARREPENDIMENTO E AMOR

                Em 1924 tomou-se rumos diferente, o Senhor os uniu novamente, e isto foi conhecido como o ‘milagre  de Manson’, depois de  alguus anos de separação mais precisamente, em 1994, finalmente, alguns líderes da Assembleia de Deus e da Igreja de Deus em Cristo, do Bispo Charles Manson, se uniram em reconciliação. E um desses líderes brancos pertencente à Assembleia de Deus exclamou em alta voz dizendo: 

                …”  E nós acreditamos que o Esprito Santo intencionalmente, nos deu a Rua Azuza como caminho de como deveríamos nos tornar. Não podemos refazer a história do racismo que surgiu depois do movimento da Rua Azuza, mas podemos, com a ajuda do Senhor escrever um capítulo novo e melhor e nos comprometemos com isso, com a sua graça, ajuda e perdão. Com encorajamento e generosidade conseguiremos mais de Deus que vai nos ajudar a mudar porque ele quer que a igreja seja tão inclusiva quanto  a sua própria graça. Então vamos unir as nossas mãos e corações e retomar a jornada  de solidariedade da Rua Azuza, e depois pedindo ao Espírito Sato para registrar o brilhante exemplo de fraternidade entre todas as raças e pessoas da Igreja Pentecostal Norte Americana, nos anos que se seguirão, em nome de Jesus. Com isso, a Assembleia de Deus se compromete encerrar isso e por fim agora. Deus nos abençoe!” 

FINALMENTE A RECONCILIAÇÃO

O PROFESSOR DE SEYMOUR        BISPO CHARLES H. MANSON         William_seymour     BRANCOS SEPARADOS

AS IMAGENS SÃO APENAS EFEITOS DE TEXTOS 

               Instantes depois reuniram-se os líderes principais do movimento pentecostal, inclusive o pastor Seymour e Manson a fim de numa demonstração de perdão perante todos os que fizeram a Assembleia de Deus – dos Brancos e da Igreja de Deus em Cristo – do Bispo Manson, juntamente com a Igreja  Evangélica da Missão da Fé Apostólica – do Pastor William Seymour -, diante das duas igrejas oficializaram  a união definitivamente dizendo:

               “Saibam que esse ato, não vai apagar tudo o que aconteceu, mas vai estabelecer um novo começo em nome de Jesus Cristo”  E  enquanto isso, lavava os pés desses dois líderes, a saber:   Os pastores Seymour e Manson e diziam:

               “Obrigado Senhor! Muito obrigado em nome de Jesus! E oravam dizendo:” Nós lavamos os pés de vocês ante o passdo, Aleluia! Em nome de Jesus nós lavamos o sangue que foi derramado por sofrimento em nome de Jesus! Nós lavamos o sangue, Obrigado Senhor! Nós lavamos o irmão Seymour e o irmão Manson. Lavaamos os pés desses irmãos e que seja um sinal para todos os demônios do inferno que têm se esforçado a fim de que não tenhamos sucesso. Aném! Amém Senhor Jesus!”  Mas o Senhor Jesus prevaleceu para corrigir isso que não estava certo, em nome de todos os irmãos brancos que em todos esses anos tem lutado contra o mal, nós nos submetemos e nos humilhamos em ato único desse recomeço, pela glória de Deus, Pela Glória de Deus, e pela Glória de Deus! Em nome de Jesus!

               Ao ver a história do recomeço podemos logo entender que isso não foi uma troca de superioridade entre duas igrejas, mas sim, igualdade entre negros e brancos, servindo um ao outro para a glória do único Mestre, Jesus Cristo, aleluia! Ele é o Senhor e nós somos seus servos e servimos  uns aos outros, para servir a Deus em nome de Jesus.

         CANTAVA NA IGREJACANTANDO

NA IGREJA
NA IGREJA  NEGROS E BRANCOS CANTAVAM JUNTOS

                 Logo depois da conclusão do lava pés, um dos líderes da igreja agora unidas anunciou: “Quero que todos os que estão aqui presente, se puderem se ajoelhem para Deus e se tornarem seus servos, e que especialmente na presença de Deus se tonem servos disponíveis para  servir ao corpo de Cristo e especialmente, na reconciliação e conscientemente  lavar os pés uns dos outros, os amarmos humildemente, sendo instrumentos do amor de Deus!” Depois dessa  convocação, cantaram um hino em louvor a Deus.

QUE O SENHOR DEUS  CONTINUE VOS ABENÇOANDO!

Deixe um comentário

SÉRIE ESPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS – Nº 20

OS COMENTÁRIOS DA RUA AZUZA CONTINUAM

       NEGRO BRAVO

images (BRANCO BRIGÃO

RACISMO DENTRO DA IGREJA

Durante o período de 1907 a 1914, houve muitas discussões  sobre os problemas dos brancos contra os negros da Rua Azuza. Havia muita  agitação dos brancos contra os negros. Os brancos reclamavam contra os negros mesmo dentro da igreja, dizendo: “Devemos ficar aqui, ou sair daqui? Devemos aceitar essas coisas de negros ou não! Nós somos brancos, e é difícil ficarmos aqui  integrados à segregação, como vamos ficar aqui sob as ordens pastorais de Mason. Ele é negro e nós somos brancos, isso é difícil para nós”.  As comunidades inclusive, foram rígidas em se tratando da unidade entre negros e brancos fazendo adoração juntos.

                Por outro lado, as igrejas contrárias à Rua Azuza, a imprensa e a comunidade acusavam os pastores brancos por estarem na mesma igreja dos negros. O culto passou a sofrer impactos negativos. Os brancos realmente deixaram a igreja de Mason e formaram no mês de abril, uma assembleia em 1914,  para definir seus rumos como igreja, e assim, fizeram união com pessoas da igreja da Rua Azuza, e igrejas já criadas em outros bairros, inclusive em Colorados e em Los Angeles. O resultado dessas reuniões, foi que  os brancos formaram uma uma nova igreja e a denominaram Assembleia de Deus, não mais permanecendo na Missão da Fé Apostólica, da Rua Azuza, tampouco a Igreja  de Deus em Cristo, do Bispo Charles H. Manson. E agora com a criação dessa nova denominação, eles os brancos, entenderam que não poderiam ser vistos como filhos rebeldes dessa igreja mãe, que era a Igreja de Deus em Cristo do Bispo Charles H. Manson, de toda forma isso passou a ser observado  como uma separação racial.         

A IDEIA DOS BRANCOS PARA SE SEPARAR DOS NEGROS

               APERTO DE MÃOS

NEGROS E BRANCOS ERAM UNIDOS ASSIM

                Os brancos acharam que a separação  era bom, porque diziam eles: ” Os brancos evangelizariam os brancos e os negros por seu turno, evangelizariam os negros”. Foi essa desculpa que inventaram. Os brancos, uma vez desligados dos negros deveriam se arrepender por seus atos desumanos, e  arrependidos dizerem: “Somos devedores aos nossos irmãos negros, eles nos ajudaram dando-nos espaço, a fim de que Deus entrasse em nossas vidas. Tivemos que ser trabalhados por eles para que  não aceitássemos o sistema racista”. Todavia, isso os brancos não disseram, omitiram-se em reconhecer esse trabalho gerado no amor de Deus através dos negros, para os beneficiar em Cristo. Isto os brancos esquivaram-se em fazer.

BRANCOS E NEGROS EM CULTOS SEPARADOS 

                                NEGROS SEPARADOSBRANCOS SEPARADOS

               Depois de 1924 brancos e negros  separados continuam  juntos embora separados. Em 1948 quando os pentecostais brancos se juntaram à Associação Nacional dos Evangélicos, os negros não foram convidados, então eles formaram uma Associação de Negros das Igrejas Pentecostais da América que era antes, toda branca em 1948. Então havia brancos e negros cultuando a Deus separados um dos outros. Isto foi criticado no mundo todo, os movimentos europeus como os americanos achavam que isto era uma tragédia para a igreja americana, principalmente.  

               Os pentecostais brancos foram criticados por mandar dinheiro para a Africa, porém faziam questão de não ajudar os negros nos Estados Unidos. Essas críticas começavam a crescer. Alguém gritou contra essa situação, chamando-a de sério problema com uma raiz muito profunda que começava na liderança, infelizmente. E até porque a liderança precisava realmente, atingir a redenção de Deus, não somente em palavras, mas no espirito humanitário, que seria  o correto. 

A  TENDÊNCIA ERA  DISTANCIAMENTO 

    

                      PRETO PRGANDO      BRANCOS PREGANCDO

  ASSIM ERA NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA          

               A tendência era o distanciamento, cada vez mais nos Estados Unidos,  de onde começou, terminando por esquecer o peço que essas pessoas pagaram para  que todos os homens e mulheres tornassem um só sacerdócio, de modo que todos acreditassem que o movimento da Rua Azuza não fosse teoria.”Ora, quando Deus viu sua obra em caminhos bem diferentes,  os homens  buscando coisas materiais  apenas como imposto e outros bens terrenos, diríamos pois, que mudou  esse tipo de coisas, fazendo com que as pessoas buscassem a  Deus. Por isso entendo que a Rua Azuza é um exemplo claro de pessoas superando  seus problemas pessoais, por algo divino e importante, qual seja o  preenchimento  de  Deus pelo Espírito Santo. 

QUE AMOR DE DEUS SEJA CONVOSCO!

 

Deixe um comentário

SÉRIE ESPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS – Nº 19

(CONTINUANDO COM A RUA AZUZA)

 

O RACISMO AMERICANO

             NEGRO DE CHAPEU

BRANCOS E NEGROS NÃO SE ENTENDIAM NA IGREJA AZUZA

                O Movimento Pentecostal da Rua Azuza sofreu reveses por se manter na presença de Deus buscando o Pentecoste. as mulheres que faziam parte desse movimento eram muitas vezes ridicularizadas pela imprensa que falava contra elas, difamando-as de indecentes porque rolavam no chão, – dominadas pelo poder do Espírito Santo – , criticavam o modelo dos seus vestidos que poderiam subir um pouco mais, porque à época as vestimentas das mulheres eram mais compostas. Até  um artigo de jornal que falava que as mulheres se deitavam no chão e balançavam as pernas no ar. Porém isso era inverdade, segundo a História da Rua Azuza, nada disso aconteceu em lugar algum de Los Angeles. E por conta dessas inverdades a polícia muitas vezes teve que aparecer e fechar os lugares onde estava cultos. Alguém entre os incrédulo chamou o Movimento da Rua Azuza de  movimento de Satanás. A Missão da Rua Azuza era também chamada de Bruxaria  e outros nomes diabólicos. Assim os pentecostais tiveram que enfrentar duras críticas da imprensa, do povo americano e também das igrejas contrárias a esse movimento.

cura das mulheres

SINAIS E CURAS NA RUA AZUZA

               A Rua Azuza não sodente trabalhou com  sinais,  curas e transformação, mas muitas coisas aconteceram naquele Movimento Pentecostal. Muitas pessoas eram tocadas pelo poder de Deus, distantes alguns quarterões do prédio da Rua Azuza, elas eram curadas mesmo distantes da Rua Azuza. Os milagres curas e maravilhas eram contados e as pessoas eram curadas  até mesmo nos quarterões. Jonh Balterman disse que: ” Eu acho que foi o Jornal Time  disse que isso o deixava bravo, para ver exatamente o que era, pois as crianças naqueles encontros cantavam em Espírito”. Também o Jornal disse: “Como pode ser isto? Crianças como essas… Isto não pode ser normal! Crianças não fazem assim”. E por mais que os jornais, o povo e as igrejas falassem contra, jamais entenderiam que isso foi um grande movimento cultural, e tinha muito a dizer aos líderes contemporâneos da igreja de hoje. Diria eu: O que temos a oferecer hoje? O que temos a oferecer como Igreja, como um povo representante de Cristo para o mundo nos dias atuais?

               Se a religião como um todo, no seu modo de ser não for transformadora, afirmo que  não vale a pena existir. Para fazer referência a isso, vemos que o próprio Seymour fez uma declaração profética, sobre as mulheres e disse: que o tipo de consagração que era visto na Rua Azuza não era evidente no tempo do pentecoste, então ele viu isto como uma coisa consagrada, ele viu isto como algo inteiramente consagrado vindo de Deus.

OS BRANCOS NÃO ESTAVAM SATISFEITOS COM OS NEGROS            

BISPO CHARLES H. MANSON

BISPO CHARLES H. MANSON

                Os brancos não estavam satisfeitos com a presença dos negros líderes do Movimento da Rua Azuza. Embora como dissera Charles H. Manson, findador da Igreja de Deus em Cristo, cerca de trezentos e cinquenta pastores brancos se juntaram fazendo parte da Igreja de Deus em Cristo, fundada por Manson. De maneira que os brancos eram liderados por negros na Igreja de Deus, isso era impensável até então. Acredito em particular que esse foi um dos milagres de Deus na Missão da Rua Azuza, para evitar segregação e iminente racismo dos americanos contra os afros americanos.

               Nesse caso, pode-se até dizer que os filhos de Deus eram os adoradores da Igreja de Deus. Acontece que depois de terem aprendido a Palavra, os brancos não quiseram mais ser dominados  nem dirigidos por negros na Igreja de Deus em Cristo que era uma igreja liderada por Manson, que era negro. E assim começaram a sair e criar suas igrejas a partir de 1914. Infelizmente, isso não foi amplamente escrito na História do Avivamento da Rua Azuza.

 

             ASSEMBLEIA DE DEUS -TRAPICHEASS. DEDEUS NO VERGEL DO LAGO

 IMAGENS DAS  ASSEMBLEIAS DE DEUS DO TRAPICHE E VERGEL

               As igrejas eram iniciadas de conformidade com as leis do  Estado e do Governo Federal,  uma vez sendo, as igrejas que fossem incorporadas ao Governo, significava que aos que fossem ordenados por essas igrejas, teriam abatimentos nos impostos em pelo menos 50%. E como resultado as pessoas diziam que aquelas igrejas seriam um ótimo lugar para ir, porque aquelas igrejas eram até certo ponto, protegidas pelo Estado e pelo Governo Federal. 

TENHA VOCÊ TAMBÉM PAZ EM JESUS CRISTO!

Deixe um comentário

SÉRIE ESCPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS – N 18

                PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM DESSE ESPECIAL CENTENÁRIO DA                                                         ASSEMBLEIA DE DEUS  EM ALAGOAS

           É UMA LINDA E LONGA HISTÓRIA  PARA VOCÊ CONHECER NESTE BLOG.

TRAPICHE DA BARRA ANO 1915          GUNAR VINGRENTRAPICHE HOJE

               Você vai conhecer de perto a história da Igreja no Tapiche da Barra dirigida pelo Missionário Sueco  Gunnar Vingren.

Scan_Pic0048                  CAIS DO PORTO EM  1915                                        

                 Você vai desfrutar de novos conhecimentos a respeito do casal Otto e Adina Nelson, inclusive ter conhecimento da realidade do que era Maceió em 1915, quando a Igreja começou.

1° TEMPLO DA ASS. DE DEUS FAROL                 2º TEMPLO DA ASS. DE DEUS -NACEUÓ                                                                        TEMPLO ASS. DE DEUS FAROL-SEDE

               Você vai ficar sabendo mais ricamente,  sobre o período de cada templo, como foi construído e  como  a Assembleia de Deus viveu nessas épocas. Vale a pena acompanhar.

PASTOR BARROSMISS. GUSTAVELEmanoel pereira              PASTOR NECO        

               Além  dessas informações você vai  conhecer a respeito da chamada desses homens de Deus, e como  o próprio Deus os usou no desenvolvimento da Assembleia de Deus em Alagoas.

MISS. JOSÉ COSTA MENDES -ARGENTINAmissi. claudionor-bolivia

            Acompanhando esses Especial Centenário da Assembleia de Deus em Alagoas, o  querido  leitor vai enriquecer seus conhecimentos no tocante a Missões Evangélicas e o seu respectivo valor para a obra de Deus no mundo inteiro.

 ARTUR MARTINSCORAL DO VERGEL 

ASSEMBLEIA DE DEUS TEOTONIO VILELA-ALAGOAS

                Meus queridos leitores, este BLOG vai levar vocês aos mais antigos  períodos da Assembleia de Deus em Alagoas, mostrando os antigos e modernos louvores, como também a história da Igreja no interior do Estado. De maneira que você meu querido irmão e amados leitores desse BLOG seja inteirado totalmente, de toda as festividades do Centenário da Assembleia de Deus em Alagoas. Enquanto isso, continuamos escrevendo sobre o Avivamento da Rua Azuza, acompanhe!

QUE O SENHOR DEUS CONTINUE VOS ABENÇOANDO

 

Deixe um comentário

SÉRIE ESPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS- Nº17

AVIVAMENTO DA RUA AZUZA CRESCE COM NOVOS PREGADORES

ACValdezSA.C.VALDEZ

EVANGELISTA A. C. VALDEZ

               A. C. Valdez, este se tornou um evangelista internacional por seu dinamismo na pregação do evangelho. Ele era um imigrante mexicano. Sua mãe conhecida apenas como Suzie, quando ele tinha apenas  oito anos de idade, o levou à Missão da Rua Azuza. Ele se tornou um evangelista  internacionalmente conhecido. O tataravô de  A.C.Valdrez, foi um pregador do evangelho, ele veio e se estabeleceu na cidade de Ventura, na Califórnia.

               O terceiro homem que teria aceitado a Jesus na Missão da Rua Azuza, seria Brígido Perz. A história da Rua Azuza assegura que Brígido era um rapaz solteiro, provavelmente um imigrante mexicano que veio para os Estados Unidos a procura de trabalho que finalmente encontrou. Brígido Perz, quado foi batizado decidiu que não poderia ficar parado e decidiu fazer alguma coisa. E dias depois ele vai para o México.  Assim são conhecidas várias pessoas de origem latina desde 1906 quando começou a Missão da Rua Azuza, até 1909. Esses sem dúvida, fizeram uma diferença significativa. é claro que nesse movimento apostólico, infelizmente, essas pessoas não foram identificadas.

               A História da Rua Azuza apresenta George Montgomery. Ele foi um grande investidor no Mercado de ações. Diz-se também que tinha um lugar na Bolsa de Valores  em São Francisco, era um homem muito rico. George Montgomery tinha muitas minas de ouro no México, e usou essas minas para beneficiar os vários ministérios. Certamente esse irmão foi muto importante para beneficiar a vida dos irmãos Olasabla e Juan Lugo na experiência pentecostal. Desse modo, através de George Montgomery, Olasabla se torna um homem muito importante no movimento pentecostal, sobretudo na ministração entre mexicanos e americanos.

 HAVIA SÉRIA DISCRIMINAÇÃO ENTRE BRANCO E NEGROS 

ERAM DA RUA AZUZZAnegro da ua AZUZA

O RACISMO AMERICANO CONTINUA

               O movimento pentecostal da Rua Azuza pagou muito caro o preço por viver na dispensação do Senhor Deus. Isso devido aos preconceitos, racismo e oposição de muitos americanos contrários à presença de negros  ao movimento da Rua Azuza. O racismo tomava conta total do movimento. Os artigos dos jornais da época eram ditatorialmente racistas, eram acima de tudo, falatórios e opositores a esse movimento. Houve muita perseguição. Além disso, a imprensa e as igrejas eram mito violentas como um todo. Havia muitas referências de crianças sendo queimadas, eles espalhavam excrementos de cachorros nas teclas  do piano  e pedras eram jogadas nos pastores. As tendas daqueles crentes eram derrubadas, e ainda, como se não bastasse, algumas pessoas eram mortas. O Movimento Pentecostal da Rua Azuza pagou muito alto com suas vidas para aceitar o pentecoste. Com isso aumentavam as dificuldades de permanecer em Los Angeles, até porque, eles não eram queridos ali. Eles sofriam  um preço muito elevado por permanecerem em Los Angeles.

TENDA AZUZA

AS TENDAS DOS CRENTES ERAM DERRUBADAS

As tendas dos crentes da Missão da Rua Azuza eram várias vezes  derrubadas por parte dos opositores daquele Movimento Pentecostal. Por mais bênçãos  deixadas pelos participantes da Missão, através do efeito poder do Espírito Sato de Deus, os opositores da Rua Azuza continuavam insistindo na  expulsão daquele trabalho desenvolvido pela Missão da  Pentecostal. É interessante dizer que, por mais que a perseguição aumentasse, o Senhor Deus, – o dono da Missão Azuz -, levantava novos obreiros, pregadores da palavra de avivamento pentecostal, e os espalhavam por vários países como o México por exemplo. O certo é que a Missão da Rua Azuza  nos alcançou com a fundação da Assembleia de Deus no Brasil, mais precisamente, na cidade do Pará.

A IDEIA DE SANTO AUGUSTINHO          

                 Uma das coisas mais importante da Rua Azuza foi acabar com a ideia mantida por  santo Agustinho, de  que a ideia dos sinais, milagres, maravilhas, línguas e interpretações vinham dos demônios. Porém, o Avivamento da Rua Azuza trouxe para as igrejas modernas, o dom do Espírito Santo. Agustinho de Hipona – Africa, para quem não sabe, foi um dos mais importantes teólogos do cristianismo, embora na condição de padre, santo Agustinho era Bispo de Hipona, uma cidade na província romana da África. Ele escrevendo na era patrística, foi considerado como sendo um dos mais importante padre da igreja no ocidente. Suas obras mais importantes são: “A cidade de de Deus” e “Confissões”, ambas ainda estudadas atualmente.

MOLETAS DA AZUZA

MULETAS O TESTEMUNHO DA CURA

                Mas nem por isso, a Missão da Azuza parou suas atividades pentecostais, pelo contrario, permaneceu pela Unção do Espírito Santo. Nos cultos realizados na Rua Azuza, eram visto centenas de aleijados, cegos, surdos e mudos sendo curados pelo poder do nome de Jesus. Cerca de 40 a 50 mil pessoas estavam ali para participar desses cultos poderosos  e abençoados  da Azuza. Ali quando os pastores começavam a pregar, centenas de aleijados começavam a se esticar, e o povo sentia isso como se os ossos estivessem se quebrando, o que era na verdade, o poder de Deus agindo na cura daquelas pessoas doentes, e transformando inclusive, as suas vidas. 

CONTINUE ACOMPANHANDO  AS SÉRIES DESSE CENTENÁRIO ESPECIAL

E QUE O ESPÍRITO DE DEUS SEJA COM VOCÊS!

Deixe um comentário

O QUE É CARNAVAL PARA VOCÊ

DESFILE DO CARNAVAL

NÃO SE DEIXE ENGANAR POR ESSA BELEZA FALSA

                 O carnaval é uma festa má traiçoeira e assassina. O perigo de vida está por todos os lados onde houver a  manifestação dessa Festa Pagã. Isso acontece porque a festa é maligna, por ser  integrada ao paganismo romano. Por mais que o  folião seja cuidadoso, está sempre em perigo enquanto estiver vivenciando essa tal festa. A História do Carnaval remonta fatos que ainda se vê no decorrer dos dias de carnaval. A exemplo dos carros alegóricos, que tem história do paganismo romano, trazendo sobre eles  a prática de sexo explicito  ao  público em Roma. As máscaras,  fantasias e bebidas tem sentido falso. Pessoas  se fantasiam, porém a alegria não é real. O carnaval engana. A palavra de Deus diz: Não vos enganeis, pois de Deus não se zomba, pois aquilo que o homem semear isso também ceifará (Gálatas 6.7) Não plante maldição para você praticando e vivendo as influências carnavalescas as quais são contrárias a Deus. Fuja enquanto você tem oportunidade, pois tudo que você semear em pecado, isso também ceifará após a morte. Não se deixe enganar por Satanás, volte-se para Deus que te espera enquanto tens vida. A beleza que o carnaval te mostra é, na verdade, falsa e passageira.

O SAMBÓDROMO NO RIO DE JANEIRO

PORTA BANDEIRA

 PORTA BANDEIRA DE UMA  ESCOLA DE SAMBA

               Meus queridos leitores,  e irmãos em Cristo, peço por gentileza  a vossa  compreensão,  a fim de que eu possa neste post, explicar a respeito dessa festa conhecida como Carnaval, simplesmente porque muita gente não conhece nem mesmo a sua verdadeira História. O título deste post é uma indagação: O QUE É CARNAVAL PARA VOCÊ? Essa pergunta desperta a curiosidade de muita gente que não larga o Carnaval nem que morra. Sem dúvida, o Carnaval é uma festa que possui  requintes quando é trabalhado nas passarelas na Marquês de Sapucaí, por exemplo. Porém vale salientar que há nesta festa,  uma série de problemas  gerados infelizmente, por ação diabólica.

CARNAVAL UMA FESTA ENGANOSA E MALIGNA

O DEUS BACO-DE ROMA

IMAGEM DO dEUS DO CARNAVAL

               Baco é um deus pagão homenageado pelo império romano como deus das festividades, do vinho, deus da permissividade, da orgia, bacanais e deus da carne que é Carne Vale no Latim, que significa Carnaval. O Carnaval é uma festa pagã, pelo fato de ter sua origem na Roma antiga. Sob a influência de espíritos pagãos, a festa carnavalesca  centraliza em suas realizações de três dias, toda a liberdade da carne como também, todo tipo de prazer. O nome Baco, significa bacanais, que é influenciado por todos os tipos de bebidas. A imagem de Baco, o apresenta com uvas na mão que dá ideia clara  de bebida como elemento principal das festividades pagãs como o Carnaval. 

CARNAVAL UMA FESTA PAGà

               O paganismo  é um ritual praticado no mundo não cristão, trazido à realidade atual pelos romanos.Essa festa pagã chegou ao Brasil em 1840, trazendo com ela todo o excesso de prazer carnal. Apesar de está atualmente encampado ao turismo, o Carnaval tem suas origens pagãs que  não se apagarão facilmente. Durante os três dias oficiais para a sua realização, o Carnaval permite o excesso de : Bebidas, sexo explícito, assassinatos, e adoração ao deus Baco, o deus romano que instiga a bebida como foco principal da prática de libertinagens.  

          BEBIDASELES BEBEM

NO CARNAVAL AS PESSOAS BEBEM E SE EMBRIAGAM POR ORDEM DE BACO

                As pessoas por não conhecerem a História do Carnaval se deixam levar pela maldição dessa festa pagã e se faz pagão através desse ritual carnavalesco. O ídolo Baco ainda é influenciado por Satanás, no mundo todo. Satanás é mistificado na imagem de Baco, e influencia no Carnaval, todo tipo de orgias levado a efeito pela bebida que tira o sentido e reflexo de todo a quele que bebe. Eis aí a  razão do existir de toda sorte de problemas  durante os dias de carnaval. Os frutos da bebida são: Acidentes, mortes, desavenças familiar, assassinatos, prisões, etc. O efeito da cachaça domina indiscriminadamente o Carnaval, queiramos ou não.

MUITA VEZES ESSE É O FINAL DO CARNAVAL

 

morte em acidenteMORTE

 PESSOAS  MORREM NO CARNAVAL

                  É  claro que isso não é novidade, a morte acontece em qualquer lugar, tudo bem. Mas a morte ocorrida no Carnaval é diferente por ser um tipo de morte programada  pelo assassino. Pessoas que durante o ano, por exemplo, se desentendeu com alguém e ficou marcado por esse alguém, que  por essa razão planeja a morte da pessoa que o feriu no Carnaval. Isso acontece muito nos dias atuais. Na verdade, o carnaval que é trabalhado por demônios,  que influenciam todo tipo de morte, desde o acidente até a  morte por brigas pessoais, levado a efeito pela maldita cachaça. Quantas pessoas saem de casa para brincar e não voltam mais para casa. a notícia dessas pessoas é de que morreram.  Que isso não seja com você. A Palavra de Deus diz assim: Não ameis o mundo, nem as coisas que no mundo há; se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (João 2. 15). Faça isso meus queridos leitores, afastem-se do carnaval e voltem-se para Deus e sejam felizes!

QUE O SENHOR JESUS CRISTO VOS DESPERTE!

 

Deixe um comentário

SÉRIE ESPECIAL DO CENTENÁRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS – Nº 16

O PROFESSOR DE SEYMOUR

NEGROS E BRANCOS SE CHOCAM AO LONGO DA MISSÃO  AZUZA

PASTOR AVIVALIISTA DA RUA AZUZA

 NEGROS E BRANCOS  NÃO SE ENTENDEM AO LONGO DA MISSÃO DA RUA  AZUZA 

               Meus queridos irmãos e leitores deste Blog, a realidade bíblica nos deixa ver que toda obra de Deus, administrada por homens sofre reações humanas de toda sorte. Temos exemplos vários no Antigo e Novo Testamento a esse respeito. Observe o caso de Abraão e seu sobrinho Ló, veja também a questão de Davi e Saul. Além disso vemos também no Novo Testamento, os casos entre o apóstolo Paulo e alguns membros da Igreja, em fim, são várias as  reações humanas ocorridas na obra de Deus. Isto acontece porque homem é homem, carne é carne. Por mais que o Poder de Deus seja manifestado na obra, as ações humanas também se manifestam. Da mesma maneira ocorreu na Missão Pentecostal da Rua Azuza. Vocês ao lerem entenderão essas reações que funcionam na maioria das vezes, nas Igrejas,  pelo efeito da ação psíquico-social que, espiritualmente  mancham o real sentido da beleza da santidade de Deus. 

TUDO ESTAVA INDO  MUITO BEM AS MULHEREES DA RUA AZUZACOM  BRANCOS E NEGROS JUNTOS         

CRENTES DA AZUXZA

NEGROS E BRANCOS ERAM FELIZES  NA AZUZA

                A presença do poder pentecostal na rua Azuza era tão clara, que os espanicos entendidos como espanhóis, afirmavam que a Rua Azuza fazia parte da vida deles. Eles estavam lá, e  assim de certo modo, tão unidos ao movimento da Rua Azuza, que comparavam aquele ambiente espiritual como se fosse o DNA deles, daí a importância da Rua Azuza para eles. É interessante saber que, na parte do sudoeste dos Estados Undos, havia diferenciamento, digo melhor, rejeição de classe. Havia histórias de que os espanicos  não eram bem vistos, nem bem-vindos, tampouco considerados nos Estados Unidos. Eles estavam lá porque tinham sede de Deus, e lá estavam eles desde o começo daquele  Movimento Pentecostal. Todavia, algumas pessoas acham que  a primeira pessoa a ser batizada com o Espírito Santo na Rua Azuza foi um católico, que era pedreiro e trabalhava na reforma do prédio. Dizem que ele se converteu e foi salvo. Diria, seja quem for. O importante é que o plano de Deus veio para salvar a todos os que o buscam.

download

 NESSE PRÉDIO PROVAVELMENTE DE MADEIRA NA RUA AZUZA FUNCIONOU A MISSÃO PENTECOSTAL

               Acredita-se que três famílias tenham sido salvas no Movimento Pentecostal da Rua Azuza. Uma dessa famílias, era Abundio Lopez e sua esposa Rosa. Conta-se que quando sua esposa se junta a William Seymour, Abundio Lopes, de pronto, começa a pregar o evangelho em vários lugares, isto é em todas as igrejas de língua espanhola. Assim fez por bastante tempo com fim específico, o qual era atender os trabalhadores de língua espanhola. Depois Abundio passou a pregar numa igreja chamada Apostolic Faith e assim ele captou o pensamento de William Seymour. Essa Igreja na qual ele pregava, pelo que se conhece, era a Igreja Apostólica de língua espanhola. Uma Igreja que distava algumas quadras da Missão da Rua Azuza.

CONTINUE ACOMPANHANDO ESSE CENTENÁRIO.

QUE O SENHOR VOS ABENÇOE!

Deixe um comentário